FMI aprova o desembolso de mais de meio milhão de dólares para São Tomé e Príncipe.‏ Fonte da foto: exame.abril.com.br

FMI aprova o desembolso de mais de meio milhão de dólares para São Tomé e Príncipe.‏

Escrito por  RNSTP Jun. 14, 2016

O Conselho de Administração do Fundo Monetário Internacional (FMI) concluíu hoje a primeira avaliação do desempenho de São Tomé e Príncipe no âmbito do programa económico apoiado pela Facilidade de Crédito Alargado (ECF).

 

A conclusão da avaliação permite o desembolso dum montante equivalente a mais de meio milhão de dólares o que perfaz mais de um milhão de dólares em desembolsos ao abrigo da Facilidade de Crédito Alargado (ECF).

O Ministro das Finanças e Administração Pública, Américo Ramos, já reagiu positivamente a esta notícia, afirmando que o Governo tem vindo a criar condições para assegurar os investimentos públicos e privados no País.

Américo Ramos, no termo do balanço da sua missão às instituições da Bretton Woods já assegurou que há sinais positivos este ano para a economia nacional.

No pilar da agenda de transformação do País, segundo precisou o governante estão ainda alguns projectos ambiciosos a serem executados.

Américo Ramos, afirmou que, paralelamente, a isso há um conjunto de acções que se prendem com a reforma no sector da justiça e outras estruturais com a definição de estratégias do sector financeiro.

A Facilidade de Crédito Alargado (ECF), convém acrescentar é um  acordo de empréstimo que proporciona a um compromisso programático sustentado de médio e longo prazos, em caso de problemas prolongados na balança de pagamentos.

Segundo as instituições da Bretton Woods, "a economia de São Tomé e Príncipe tem se mostrado resiliente, embora as perspectivas para a produção comercial de petróleo sejam incertas após uma grande campanhia de petróleo ter desistido da exploração.

Mas o desempenho no âmbito do programa apoiado pelo acordo ECF foi “satisfatório”. As reservas internacionais aumentaram e a inflação continuou a recuar, atigindo o nível mais baixo das últimas duas décadas. O desempenho orçamental foi porém impactado pelo fraco desempenho da receita fiscal", --segundo o pronunciamento feito no término das disussões sobre São Tomé e Príncipe pelo Subdirector-Geral e Presidente em exercício do Conselho de Administração do FMI, Min Zhu.

De acordo com Min Zhu "  a previsão é que o crescimento do PIB acelere para 5% em 2016- abaixo da meta de médio prazo de 6% fixada pelas autoridades e considerada necessária para produzir um impacto significativo na pobreza-.apoiado pela ampliação do investimento público, recuperação na produção de cacau e aumento de investimento directo estrangeiro no sector do turismo. A inflação deverá manter-se em torno dos 4% em 2016 e estabilizar em cerca de 3% no médio prazo, enquanto o défice da conta corrente deverá continuar a contrair".

Numa perspectiva de futuro--acrescentou que 2é importante manter a determinação política e o compromisso demonstrados até hoje, em especial num ano de eleição, para atenuar esses riscos e estender os benefícios das reformas a um segmento mais alargado da população".

O acordo ECF de três anos para São Tomé e Príncipe, no montante de cerca de 6,3 milhões de dólares, cerca de 60 % da quota do País, foi aprovado pelo Conselho de Administração do FMI a 13 de Julho de 2015, e apoia o programa de reforma económica do Governo, visando o crescimento mais forte e mais alargado servindo como catalisador da assistência bilateral e multilateral.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

  1. Popular
  2. Favorito
  3. Comentado

Ligue-se a nós

Calendário das Publicações

« Novembro 2018 »
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30    

Filtrar por temas